O que interfere no peso dos grãos de soja?

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

O peso de grãos é um importante componente de produtividade das lavouras. É o último fator a ser definido e por isso sofre influências ao longo de todo o ciclo da cultura. Basicamente, os grãos da soja são compostos por água, proteínas, lipídeos, carboidratos e minerais. Através da fotossíntese acontece a produção de fotoassimilados que realizam o enchimento do grão. Ela é realizada em grãos clorofilados, mas principalmente nas folhas. Assim, as folhas se tornam órgãos essenciais, funcionando como fábricas de compostos orgânicos que são direcionados para o enchimento dos grãos. As folhas são a fonte de energia.

Qual o impacto da perda antecipada de folhas?

Durante o crescimento vegetativo, as plantas armazenam fotoassimilados em folhas, hastes, pecíolos. No período reprodutivo, grande parte da energia produzida e armazenada é redirecionada para a formação de flores, legumes e enchimento de grãos. Flores, legumes e grãos são drenos de energia. Em soja, cada folha tem uma importância ímpar para a formação e enchimento de grãos do seu nó. Isso ocorre devido a eficiência de redistribuição das reservas internas a curtas distâncias. Quando acontece a perda das folhas, as reservas de fotoassimilados também se perdem. Com isso, o nó da folha precisará receber fotoassimilados de outros, gerando uma forma de competição. Isso reduzirá o peso dos grãos, devido à menor disponibilidade de fotoassimilados para enchimento.

Doença gera gasto de energia

As plantas possuem duas rotas principais de metabolismo quanto à finalidade de direcionamento da energia produzida ? o metabolismo primário e o metabolismo secundário. No metabolismo primário, a planta usa a energia para crescimento, desenvolvimento de estruturas reprodutivas, formação e enchimento de grãos. Esse é o metabolismo principal do funcionamento padrão da planta.

No metabolismo secundário, a planta desvia parte da energia disponível para produção de compostos de defesas contra estresses diversos, como por exemplo, a presença de uma doença. Essa rota gasta energia a qual poderia ser direcionada para produção de grãos.

Por isso, a presença de doença é sinal de gasto desnecessário de energia.

A importância do fungicida nesse cenário

Os fungicidas são fundamentais para proteção das folhas, mantendo-as sadias por mais tempo, ativas fisiologicamente, eficientes na produção de fotoassimilados e livres de estresses que desviam para o gasto de energia com defesas. O uso de bons produtos contra o ataque de fungos garante ganhos substanciais em peso de grãos e consequentemente em produtividade.

Fonte: Agro.Bayer

Fique conectado

Mais notícias

Login