Impacto do novo coronavírus no Agro

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou um boletim analisando os impactos da pandemia do Covid-19 sobre o agronegócio.

A entidade criou um grupo para monitorar a crise decorrente da disseminação do novo coronavírus, com o objetivo de garantir que os produtores irão continuar produzindo e que a população permanecerá sendo abastecida com alimentos.

Confira a análise da CNA sobre mercados internacionais e produtos agropecuários, realizada a partir de levantamentos de informações sobre o cenário externo e interno:

Produtos

Para as principais commodities agrícolas, como soja, milho e café, houve queda nos preços internacionais. No entanto, em função da alta do dólar, os preços reais não foram impactados. Para o setor sucroenergético e o algodão, o maior problema foi a guerra do petróleo entre Rússia e Arábia Saudita, que derrubou os preços nestes setores.

Boi gordo

O mercado do boi gordo iniciou a semana com pressão dos frigoríficos, reduzindo os valores ofertados em relação à semana anterior. Mas, por falta de negócios na segunda, o indicador Cepea se manteve estável.

Ao longo da semana , poucas negociações ocorreram, derrubando a cotação. Com isso, a escala dos frigoríficos foi reduzida, forçando a elevação dos preços na quinta, 19, e na sexta, 20.

Os três maiores frigoríficos anunciaram férias coletivas em alguma das suas unidades, fator que deverá pressionar a cotação na semana que vem, data que as plantas efetivamente irão interromper suas atividades.

Aves e suínos

Ao contrário dos frigoríficos de bovinos, as plantas de aves e suínos garantiram que não vão interromper sua produção. Mas a queda no food service (serviços de alimentação fora de casa) preocupa. As empresas já sentiram queda de 10% a 15% nos pedidos. Por outro lado, os pedidos das redes de atacado e varejo aumentaram. Na parte da exportação, a falta de contêineres tem dificultado as vendas de proteínas animais.
Fonte: Canal Rural

Fique conectado

Mais notícias

Login